MUNDO | ECONOMIA - Navio encalhado no Canal de Suez faz preços do petróleo internacional saltarem 4%.

Navio de 400 metros de comprimento foi arrastado por fortes ventos e encalhou bloqueando o canal

Operação para desencalhar navio pode levar semanas - SATELLITE IMAGE ©2021 MAXAR TECHNOLOGIES / AF

Os preços do petróleo avançaram mais de 4% nesta sexta-feira (26), por temores de que a oferta global da commodity e de produtos refinados possa ser afetada por semanas devido ao encalhe de um gigante navio porta-contêineres no Canal de Suez.

Segundo as autoridades do canal, o navio Ever Given teve uma pane e foi arrastado por fortes ventos durante uma tempestade de areia. A embarcação, que tem 400 metros de comprimento, bloqueou totalmente a passagem pelo canal e mais de 230 barcos estão ancorados esperando uma solução.

As cotações se recuperaram da forte queda registrada na sessão anterior, quando foram pressionadas por preocupações sobre os impactos que novos lockdowns relacionados ao coronavírus na Europa podem ter sobre a demanda.

O Canal de Suez é uma das rotas marítimas mais importantes do mundo. "Construído no século 19, o canal tinha como principal objetivo encurtar a distância entre a Europa e a Ásia, facilitando o transporte de mercadorias e de navios de guerra na época", explica o professor de Relações Internacionais da ESPM, Gunther Rudzit.

O petróleo Brent fechou em alta de 2,62 dólares, ou 4,2%, a 64,57 dólares por barril, após ceder 3,8% na quinta-feira. Já o petróleo dos Estados Unidos (WTI) avançou 2,41 dólares, ou 4,1%, para 60,97 dólares o barril, depois de apurar queda de 4,3% na véspera.

O Brent acumulou ganho de 0,1% na semana, enquanto o WTI recuou 0,7% no período, engatando sua terceira queda semanal consecutiva.

O mercado do petróleo apresentou grande volatilidade nesta semana, com operadores avaliando tanto o impacto potencial do bloqueio do Canal de Suez, que ocorreu na terça-feira, quanto o efeito dos novos lockdowns devido à pandemia de coronavírus.

"Hoje o mercado está em alta de novo, já que os traders decidiram, em uma mudança de humor, que o bloqueio do Canal de Suez de fato está se tornando mais significativo para os fluxos de petróleo e entregas do que haviam concluído anteriormente", disse Paola Rodriguez Masiu, vice-presidente de mercados de petróleo da Rystad Energy.

O Canal de Suez intensificou esforços nesta sexta-feira para liberar o meganavio encalhado, depois de não obter sucesso em uma tentativa anterior. A operação pode levar semanas, com possíveis complicações do clima instável no local.

FONTE: NOTICIAS.R7.COM

EDIÇÃO:

REDAÇÃO DO GRUPO

 

Postar um comentário

0 Comentários