Crescimento do interesse de produtores em agricultura com tecnologia estão no radar da AgroBrasília Digital 2020 - Alô Brasília

Últimas

quinta-feira, 2 de julho de 2020

Crescimento do interesse de produtores em agricultura com tecnologia estão no radar da AgroBrasília Digital 2020



Atenta à tendência, Coopa-DF realiza, de 6 a 10 de julho, a AgroBrasília Digital, edição da Feira totalmente eletrônica, virtual, online e gratuita, cuja programação irá contemplar tecnologias, negócios e conteúdo técnico





Instituições ao redor do mundo apontam para o crescimento do interesse dos produtores rurais em agricultura digital, processo que se intensifica em razão da necessidade de distanciamento social imposta pela pandemia do novo coronavírus. Mapeamento da consultoria global de gestão e estratégia Boston Consulting Group mostra que 45% dos empresários rurais brasileiros planejam aumentar o investimento em novas tecnologias para a lavoura. Do universo de entrevistados pela consultoria, 36% já investem regularmente em digitalização, a maior parte localizada no Centro-Oeste e no oeste da Bahia.

O índice nacional está próximo do encontrado nos Estados Unidos e bem acima do de países europeus como Alemanha. Na avaliação do diretor da consultoria, Fleuri Arruda, produtores de pequeno e médio portes tendem a ganhar representatividade nesse processo, embora em menor intensidade. Entre as culturas, soja, algodão e cana-de-açúcar devem receber o maior volume de investimento em automação.

A expansão da agricultura digital vinha se acelerando mesmo antes da pandemia, incluindo as mais diversas culturas agrícolas, regiões e segmentos de produtores. O formulário United Nations Global Compact: Digital Agriculture, de 2017, apontava que o mercado mundial da agricultura digital em 2021 seria de 15 bilhões de dólares. Além disso, de acordo com o mesmo documento, 80% das empresas esperavam ter vantagens competitivas nesse setor.

Sob outro prisma, grandes companhias empreendem ações para ampliar a digitalização da agricultura. É o que faz, por exemplo, o grupo de empresas que promove o ConectarAGRO, uma iniciativa que visa difundir solução tecnológica voltada à expansão do acesso à internet nas regiões agrícolas brasileiras. Fazem parte da ação corporações como a Jacto, a CNH Industrial – que detém as marcas New Holland e Case IH, a AGCO – que detém a Massey Fergunson, entre outras.

Radar da AgroBrasília Digital

A tendência de crescimento da agricultura digital está no radar da Cooperativa Agropecuária da Região do Distrito Federal (Coopa-DF), que irá realizar, de 6 a 10 de julho, a AgroBrasília Digital, uma edição da Feira totalmente eletrônica, virtual, online e gratuita. Na programação, tecnologias, negócios e conteúdo técnico.

Além de sempre focar nas mais recentes tecnologias, sistemas e processos, a Feira adota em 2020 uma nova forma de fazer negócios para o agricultor, por meio de uma plataforma digital. O site digital.agrobrasilia.com.br será o meio de conexão do evento com o campo. Durante cinco dias, haverá lives (transmissão de vídeo ao vivo), palestras e conteúdos exclusivos, reunindo personalidades e especialistas do agro.

Como no evento físico, a AgroBrasília Digital apresentará condições favoráveis para compra, a exemplo de preços e opções de financiamento, além da presença de instituições de crédito, o que simplifica a vida do produtor. O acesso, como sempre, é livre e gratuito, com toda a comodidade e segurança que os produtores, parceiros comerciais e apoiadores da Feira merecem.

Os visitantes poderão acompanhar os eventos, navegar pelos estandes para conhecer os produtos e serviços e entrar em contato direto com o expositor, tudo por meio da plataforma online. Cada expositor terá um espaço dentro da plataforma, em que poderá publicar suas informações, produtos e contatos.

Para o presidente da Coopa-DF, José Guilherme Brenner, o objetivo da organização é continuar a proporcionar ao empresário rural meios de integração com empresas de tecnologia e instituições financeiras, agora em ambiente virtual. “Estamos aprendendo a trabalhar com novas ferramentas, plataformas, para que a AgroBrasília continue a ser um espaço relevante de negócios e conhecimento de tecnologias, para produtores e empresas. A alternativa digital, acredito, também trará oportunidades que enriquecerão a AgroBrasília na próxima edição. Para o produtor, é mais um impulso de inovação, nesse caso na forma de fazer negócio, por meio da plataforma digital”, analisa Brenner.

Ressaltando que a AgroBrasília é um destaque mundial na área de tecnologias voltadas à agricultura tropical, o presidente da Feira, Ronaldo Triacca, afirma que as expectativas são boas quanto ao evento virtual. “Vamos utilizar uma ferramenta nova e há desafios nisso. Mas achamos que a AgroBrasília Digital alcançará sucesso. Muitos expositores retornaram positivamente quanto à participação e reforçamos nosso convite aos produtores.”

A menos de uma semana do seu início, a AgroBrasília Digital atinge a marca de 140 expositores confirmados. Todos estão cadastrados na plataforma em que se desenvolverá a Feira, de 6 a 10 de julho – o site digital.agrobrasilia.com.br. Em cinco dias de evento, produtores, empresas e público em geral terão acesso, de forma livre e gratuita, a diversas tecnologias e oportunidades de negócios, além de conteúdo técnico que abordará temas atuais e relevantes.

Ano após ano, a AgroBrasília vem se consolidando como uma das maiores feiras do agro do Brasil. Em 2019, os negócios fechados durante o evento ultrapassaram a marca de R$ 1,2 bilhão. A Feira reuniu quase 500 expositores e atraiu um público de 120 mil pessoas ao Parque Ivaldo Cenci, no PAD-DF.

“O sucesso da AgroBrasília é explicado pelo trabalho da organização e da equipe, mas também se deve ao elevado nível tecnológico dos produtores da macrorregião do Planalto Central que abriga, por exemplo, área irrigada de 250 mil hectares, a maior concentração de pivôs centrais da América Latina. O produtor trabalha na fronteira tecnológica e a Feira é uma vitrine desse cenário”, avaliou o presidente da AgroBrasília, Ronaldo Triacca.

Ele aponta ser difícil mensurar qual a expectativa de negócios para a Feira digital, mas espera um bom volume de vendas. “Também esperamos um alto número de visualizações, de compartilhamentos, de interação, em relação à programação técnica e nas redes sociais da AgroBrasília. A organização e os expositores estão unidos na divulgação da Feira Digital, o que deve trazer bons resultados, bom público, com produtor, empresário, estudante, enfim, todos os que trabalham com agronegócio”, pontuou Triacca.

No site da AgroBrasília Digital, um destaque serão os vídeos que documentam os plots demonstrativos das empresas de insumos – genética vegetal, defensivos, corretivos –, já instalados no Parque Ivaldo Cenci para a Feira física, que foi adiada em razão da pandemia de Covid-19. As tecnologias, consideradas vivas, puderam ser aproveitadas para demonstração no evento virtual.

A estrutura da plataforma digital permitirá que cada expositor tenha uma página própria, em que poderá divulgar produtos e serviços. No site, diversas instituições, governamentais e não governamentais, públicas e privadas, também vão inserir conteúdo variado. Além da programação da própria AgroBrasília, que traz inúmeras palestras, lives, temas da atualidade, especialistas e personalidades do agro.

Para a empresária rural Cristiane Hanashiro, da Hanashiro Máquinas Agrícolas, uma das expositoras da AgroBrasília Digital, atuar em uma plataforma digital é uma novidade que traz desafios. A empresa ainda não tem experiência em comércio eletrônico, mas Cristiane entende que o momento pede adequações.

“As minhas expectativas quanto aos negócios e participação dos produtores na AgroBrasília Digital são boas. Mas o melhor é aguardar a Feira ocorrer para poder avaliar como se dará o desempenho de vendas de máquinas agrícolas em um ambiente virtual. Empresas e produtores estão se adaptando às novas demandas trazidas por esse período”, afirmou a empresária.

Melhores opções de financiamento
No rol dos expositores, estão também duas grandes instituições financeiras, o Banco de Brasília (BRB) e o Bradesco. Os bancos estão empenhados em apresentar as melhores opções de financiamento aos produtores, além de figurarem como patrocinadores da AgroBrasília Digital.

O Bradesco informou que, além do portfólio completo de financiamentos, produtos e serviços para o agronegócio, durante a Feira terão destaque as principais modalidades de financiamento para máquinas e equipamentos agrícolas. Exemplos são o BNDES Pronamp, o Moderfrota, o Moderinfra, o Moderagro, o PCA, e linhas de custeio e investimentos, com recursos livres e controlados. 

A instituição promove ainda a campanha Força no Campo, que vai sortear três tratores novos. A ação também será um dos destaques na Feira, como incentivo aos produtores rurais para que financiem suas operações de máquinas agrícolas e crédito rural pelo banco.

Além disso, para o Bradesco, é positiva a estimativa de negócios para as grandes feiras do agro. Assim, o banco acredita que a AgroBrasília Digital será um grande evento e espera superar o volume de indicações de negócios protocolados na edição anterior. A instituição promete atender todas as demandas dos produtores rurais, conforme a necessidade de seus projetos de investimentos. E espera atingir um público superior a 70 mil pessoas, em razão da grande exposição trazida pela Feira.

O BRB vai apresentar, durante a Feira, todos os produtos de sua carteira de crédito rural, com ênfase em investimento agrícola para a aquisição de máquinas e equipamentos, principal demanda da AgroBrasília.

São quatro as linhas disponíveis – Custeio Agropecuário, destinada a cobrir despesas com insumos para a próxima safra, despesas normais dos ciclos produtos das lavouras, além de concessão de crédito para financiamento de despesas da atividade pecuária; Investimento Agropecuário, relativa ao financiamento de despesas que englobam mais um ciclo de produção; Comercialização Agropecuária, para viabilizar, ao produtor ou a cooperativas, os recursos necessários à comercialização da produção, e Industrialização Agropecuária, com recursos para o financiamento das despesas do processo de industrialização ou de beneficiamento de produtos agropecuários.

A expectativa de negócios do BRB para a edição digital da AgroBrasília é alta. A instituição financeira avalia que o nível tecnológico dos produtores da região e o crescimento projetado para a carteira rural podem resultar num montante de R$ 260 milhões. O BRB espera alcançar quase 200 produtores do Distrito Federal, considerando o potencial de divulgação digital e a adoção intensiva de tecnologia pelos produtores daqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Alô Goiás

Blog do PAULO MELO

Alô Brasília

Melhores da semana

Destaque

Resultado para covid-19 fica disponível em até 1 hora com teste express

  A pandemia do novo coronavírus completa sete meses. Para os pacientes que buscam mais rapidez no diagnóstico da doença, o Sabin Medicina D...

Campanha contra a Dengue