Sessão solene celebra jubileu de 60 anos da Arquidiocese de Brasília

Homenagem foi proposta pelo deputado João Cardoso que elogiou a "missão evangelizadora" da instituição, bem como as ações de assistência social

A Arquidiocese de Brasília completa 60 anos em abril de 2020, mas as comemorações do ano jubilar começaram já no início de 2019. Nesta sexta-feira (22), foi a vez de a Câmara Legislativa do Distrito Federal celebrar a data e prestar homenagem aos serviços realizados pela instituição. A sessão solene aconteceu no plenário da Casa com a presença do cardeal Dom Sérgio da Rocha, padres, irmãs e fiéis.

"Esta solenidade é uma forma de reconhecimento e gratidão à arquidiocese. A CLDF está em festa", afirmou o deputado João Cardoso (Avante), à frente da homenagem. Acompanhado de seu filho caçula, Bruno César (8 anos), o parlamentar destacou a importância da igreja católica em sua trajetória pessoal e política e elogiou a "missão evangelizadora" da instituição, bem como as ações de assistência social promovidas.

"O trabalho dos agentes pastorais tem modificado a cidade", apontou o deputado Leandro Grass (Rede), que também credita sua atuação política ao envolvimento com movimentos da igreja católica. "A política, como o papa Francisco fala, é uma obrigação para os cristãos. Por meio da política, vamos construir uma sociedade mais digna e igualitária", completou.

Ao agradecer a homenagem, o cardeal Dom Sérgio da Rocha lembrou que a história de Brasília está entrelaçada à da arquidiocese. "A igreja, na verdade, já estava presente antes mesmo da inauguração da capital", afirmou, lembrando que em 1957 foi celebrada a primeira missa em Brasília, com a participação do presidente Juscelino Kubitschek. "Desde o princípio, a igreja contribuiu com a construção da cidade", disse. O cardeal ressaltou, ainda, contribuições da arquidiocese para a educação, a saúde pública e a "formação humana" e agradeceu a todos que têm participado desses 60 anos da instituição.

Também presente à solenidade, o padre Manuel Perez Candela – conhecido como padre Manolo – elogiou a homenagem feita pelo Legislativo local. "A Arquidiocese de Brasília é como uma mãe para mim: me acolheu quando aqui cheguei, aos 18 anos", contou o pároco espanhol.

Postar um comentário

0 Comentários