Ibaneis prestigia sindicatos e garante estabelecer isonomia salarial na saúde

O governador Ibaneis Rocha (MDB), determinou nesta segunda-feira(07), que a Secretaria de Economia faça um levantamento, urgente e detalhado, que vise corrigir uma injustiça criada desde o governo Agnelo(PT), que diz respeito a reestruturação das carreiras dos Enfermeiros e Especialistas da Secretaria de Saúde



Marli Rodrigues e Dayse Amarílio, que estão ao lado do governador, fizeram um apelo ao chefe do Executivo para que corrija uma injustiça que já perdura por mais de 10 anos. Ibaneis determinou que o caso seja revisto - Foto: Renato Alves.

A decisão do governador foi em atendimento ao pedido feito pela presidente do Sindsaúde, Marli Rodrigues, e pela presidente do SindEnfermeiro, Dayse Amarílio.

As duas sindicalistas se reuniram com o chefe do Executivo local, com uma pauta de reivindicações que incluem ainda o pagamento da terceira parcela, que sai em abril, e os 100% do reajuste do auxílio-alimentação.

Sobre a mesa da reunião, ocorrida no Buriti, Marli Rodrigues destacou ao governador a importância de corrigir uma injustiça feita contra os enfermeiros e outros setores profissionais da Saúde, durante o governo petista de Agnelo Queiroz.

Na época, o governo deu um reajuste aos ondontólogos, mas deixou de fora outros profissionais de nível superior como os enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, nutricionistas, assistentes sociais, psicólogos, administradores entre outros.

Marli e Dayse Amarílio defenderam os direitos isonômicos estabelecidos pela Lei 1.761/2013, que deixou de ser cumprida, em seu inteiro teor, por governos anteriores.

"Essa lei estabelece a isonomia salarial de acordo com as categorias profissionais", explicou Marli Rodrigues.

"Essa incorreção histórica, pendente há mais de dez anos, não pode continuar penalizando uma grande maioria de profissionais que precisa ser contemplada como um todo", pontuou a sindicalista.

Apesar das grandes dificuldades econômicas enfrentadas pelo GDF, o governador Ibaneis garantiu que as injustiças serão corrigidas pelo seu governo.

Ele determinou que a Secretaria de Economia faça um estudo e aponte uma alternativa urgente que garanta o direito isonômico coberto pela lei.

De início, o GDF teria que disponibilizar mais de R$ 170 milhões, para contemplar as categorias.

Várias rodadas de negociações se darão daqui por diante, entre os dirigentes do SindSaúde e do SindEnfermeiro com técnicos da pasta econômica do governo.

As reivindicações dos profissionais da saúde, sensibilizou Ibaneis.

Segundo Marli Rodrigues, esta iniciativa do governador de atender ao pedido dos dois sindicatos "é um sinal de valorização das categorias.

"Tivemos a oportunidade de mostrar para o governador como o servidor necessita desta reestruturação", disse por sua vez a representante dos enfermeiros.

A presidente do SindSaúde destacou que todo esse debate, aberto com o governador Ibaneis Rocha, contou com o apoio do presidente da Câmara Legislativa do DF, deputado Rafael Prudente (MDB).

Participaram da reunião, no secretário de Saúde Manoel Pafiadache, a presidente do Iges-DF, Mariela de Jesus, e o subsecretário de gestão de pessoas da SES, Evilásio Ramos.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

نموذج الاتصال