Redes sociais: o último reduto da informação livre, não na Venezuela!

Maduro tenta restringir postagem em redes sociais em seu País


O ministro da Comunicação e Informação da Venezuela, Freddy Ñáñez, informou que vai enviar à Assembleia Nacional um projeto de lei para regular as redes sociais.

Essa é a última aposta do governo de Nicolás Maduro para estabelecer um marco legal mais restritivo em um espaço que, por sua natureza, foge ao rígido controle do governo. De qualquer forma, o deputado governista Juan Carlos Alemán assegurou que entre as propostas está a de incorporar a questão na Lei de Responsabilidade de Rádio e Televisão.

A iniciativa surgiu dias após a morte por Covid-19 de Dave Capella (apresentador da televisão Venevisión, a mais importante do país) provocar discussões nas redes sociais.

Enquanto Capella estava hospitalizado, sua família organizou uma arrecadação de dinheiro para pagar os custos do tratamento. Mas dois comediantes venezuelanos, Jean Mary Curro e Alex Gonçalves, iniciaram uma intensa polêmica ao questionarem os motivos do apelo em uma transmissão do podcast "Vamos rir disso."

Com a morte de Capella, vídeos que mostravam os comediantes duvidando das intenções da família do apresentador se tornaram virais, e as críticas não demoraram a chegar. Curro e Gonçalves pediram desculpas por meio de declarações e reconheceram que erraram ao considerar como verdadeiras informações que apontavam Capella como um fraudador.


Postar um comentário

0 Comentários